Você é nosso visitante nº_ marcador de visitas

A LENDA - clique na imagem e faça um tour pela gloriosa história do Botafogo

20 de ago de 2012

ANÁLISE FRIA


Caros amigos,

Tentarei fazer uma análise fria do que vem acontecendo, um texto longo. Percebo que estamos tentando, e que com um pitaco aqui, uma frase ali, uma outra opinião e já está tudo explicado. Mas nossa paixão pelo Botafogo acaba nos complicando, e às vezes as coisas não ficam tão claras assim.

As dúvidas são lançadas repetidamente. Eu, da minha parte, insisto em falar na montanha russa e no carrossel, sem entender porque tanta mudança de desempenho e tanta volta sem sair do lugar.

Nos comentários da postagem anterior o Orlando fez uma comparação, jogador por jogador, do time do Botafogo vs o time do Atlético-MG, e terminou questionando o porque de tanta diferença de desempenho. É uma explicação para isto que busco com esta postagem.

Não que eu chegarei a um veredito, mas tentarei formar uma opinião a partir de tudo que já discutimos. Certamente os comentários de todos nós, como sempre, completarão este mosaico, um verdadeiro quebra-cabeças, que é o futebol apresentado pelo Botafogo.

Meu ponto de partida foi a frase do comentário da Mariana: “jogamos como nunca, perdemos como sempre”. Em um primeiro momento concordei plenamente. Em seguida, li a mesma frase no Lancenet (será mera coincidência ou serão nossos leitores? Conferi lá, a postagem deles saiu 1 hora e 34 minutos depois do comentário da nossa amiga).

Depois desta segunda leitura a coisa martelou na minha cabeça. Não estou querendo discordar da Mariana, pelo contrário, a frase deu aquele estalo, me fez refletir, e até a achar que ela perfeitamente também poderia ser reescrita como “jogamos como sempre, e perdemos como às vezes”.

A minha primeira observação é que vinhamos de uma vitória, contra o Sport. Segundo foi refletir: exatamente o que o Botafogo fez diferente neste domingo? Sem dúvida jogamos melhor, mas porque?

Então comecei a buscar ajuda dos meus principais “colegas”, os números. Para começar Orlando comentou:

Resumo deste jogo:



O Botafogo teve mais posse de bola (53%). Mas foi o Atlético-MG que finalizou mais (18 contra oito) e teve mais chances reais de gol (11 contra três).



Ta aí a diferença entre os times, um tem técnico objetivo e outro que tem técnico teórico.”


Estes números confirmam uma reportagem anterior ao jogo, que informava que nas 17 rodadas anteriores, só em duas partidas o Botafogo não teve mais posse de bola. Ou seja, repetimos a performance, tendo mais posse de bola.

Então fui olhar nossos resultados: 8 vitórias, 3 empates e 7 derrotas. Vencemos quase tanto quanto perdemos. Deste ponto fiz mais uma pesquisa, e constatei que somente em 4 partidas, contra São Paulo, Corinthians, Bahia e Sport, a partida terminou com 2 ou mais gols de diferença, o que explica nossos 30 gols feitos e 24 sofridos.

Minha primeira conclusão, até óbvia, é que o Botafogo consegue complicar qualquer jogo, seja o adversário frágil ou forte. Como o Atlético-MG é um excelente time, tivemos ótimo atuação. Como o Sport é fraco e se propôs a se defender e contra-atacar, jogamos mal.

É aquela característica típica, o time joga mais quando o adversário sai e se propõe a atacar, quando dá espaços no meio e na defesa. Quando encaramos uma retranca as coisas não funcionam bem, pois falta a agressividade e contundência, em parte pelas características do meio, em parte pela falta de atacantes.

E aí vem o segundo fator, também óbvio: a zaga é fraca. Fraca pela característica do Fábio Ferreira, jogando torto, do lado inverso, lento na marcação, e sem saber sair jogando, e pela má fase do Antonio Carlos, que tem se mostrado desatento e meio displicente. Mas o principal, já apontado por todos, Luiz, Legend, Braso, Orlando, Paret..., o meio e os laterais deixam a defesa exposta.

Talvez isto valha uma análise detalhada dos gols que fizemos e sofremos, mas vejam a jogada do nosso primeiro gol. Andrezinho toca para Elkeson, nosso único “atacante”, que avança aberto, como um ponta ou segundo atacante, e cruza, para Jadson tentar empurrar a bola, que acaba sobrando para Andrezinho fazer o gol. Normalmente é assim, a jogada de ataque acaba envolvendo laterais, meias, volantes, e somente assim funcionam.

No caso dos nossos contra-ataques, eles normalmente não acontecem, pois não há homens de referência na frente. Isso fez com que no início do campeonato nosso goleador fosse o Herrera, que nunca foi goleador e normalmente jogava como segundo atacante e agora é o Andrezinho, meia, único na lista dos 12 principais goleadores deste campeonato, toda feita de atacantes.

Nossos gols não saem por acaso, eles dependem da mobilização de muitos jogadores, o que deixa a defesa sem proteção. Não estamos jogando com volante de contenção. Renato não joga assim, Jadson é mais de sair para o jogo, se recuar Seedorf teremos a mesma coisa. Amaral pode ser este jogador, assim como poderia ser o Mattos. Zen fazia esta função, mas acabava tendo mais a característica de cercar as jogadas.

Outro capítulo são os laterais. Já foi muito falado que temos alas, e não laterais. Azevedo e Lucas são melhores apoiando do que defendendo. Mas ambos vem jogando mais como laterais, saindo menos, até porque nossos volantes não cobrem muito. Perdemos ofensivamente, e não nos resolvemos defensivamente.

Dito isto acho que conseguimos entender: qualquer resultado se torna razoável nas partidas do Botafogo. Tanto é verdade que quase todas partidas se encerram em aberto, 3 empates e 11 partidas encerradas com um gol de diferença, que poderiam ter qualquer placar diferente, nos deixando na expectativa da coisa mudar a qualquer momento. Nossos gols não são por acaso, nem os que fazemos, nem os que sofremos, mas nossos resultados são por acaso. As casualidades, bobeiras e aproveitamentos, de cada jogo, é que ditarão o resultado: empate, vitória ou derrota. Por isso vemos uma montanha russa, por isso vemos um carrossel que não sai do lugar.

Por isso a impressão de que jogamos como nunca contra o Galo, e na verdade fizemos o mesmo de sempre, de acordo com o que o adversário permite. Jogamos de igual pra igual com quem for, Galo, São Paulo, Sport, Portuguesa, Figueirense. O único que saiu do roteiro foi o Bahia.

E perdemos como sempre, em bobeiras ou lances que parecem casuais. Assim como nossas vitórias parecem ter acontecido assim, por acaso.

Minha conclusão é que temos um padrão de jogo que não é eficiente, que é dependente do momento dos jogadores, e é totalmente vulnerável às decisões tomadas pelo adversário. Nosso padrão é extremamente maleável, muda de acordo com as conjunturas. Por isso a sensação de não ter padrão.

Por incrível que pareça, tentarei apontar duas ideias totalmente contestáveis para mudar esta forma de ser das coisas. A primeira é obter definitivamente um atacante. E a opção que vejo no momento é o Rafael Marques. A aposta já foi feita, já tivemos paciência, então que se banque definitivamente e o coloque em campo, de atacante, os 90 minutos.

Segundo, precisamos de um volante de contenção. Definitivamente ele não é o Renato, o Seedorf ou o Fellype Gabriel. Se será Amaral, Gabriel, Ulisses, Brinner, Fábio Ferreira ou Antônio Carlos, sinceramente não sei. E para quem estranhou a minha lista, não seria nada esquisito improvisar algum dos nossos zagueiros mais a frente da zaga, como primeiro volante. Se vai funcionar é outra história, mas o fato é que precisamos de alguém ali, até porque precisamos de um segundo volante que chegue bastante ao ataque, pois já vimos que o time tem esta forma de jogar, precisando da chegada de um volante e do apoio dos laterais.

Acho que esta é nossa realidade. E junto com ela vem uma constatação triste: os números nos mostram que é bem difícil revertermos a situação na quarta-feira, abrindo dois gols de vantagem sobre o Palmeiras.

Mas somos botafoguenses, e temos esperança. E o Palmeiras está cheio de desfalques. Creio que apoiar é o que podemos fazer. E torcer que Osvaldo de Oliveira coloque Rafael Marques logo de início, e banque um meio de campo bem ofensivo, talvez com Jadson, Renato, Elkeson, Andrezinho e Seedorf. É, o primeiro volante fica para outro jogo, este é para se partir para cima.

Abraços.

35 comentários:

  1. Popis é meu caro Carlos Henrique. A pergunta que fica é: como é que fizemos dois gols no líder do campeonato e conseguimos tomar três em bobeiras da nossa defesa. Isso vem se repetindo na maioria das derrotas do time.

    Com Marcelo matos não tomávamos muitos gols deste tipo, apesar da fraqueza dos dois zagueiros, acho que está faltando proteção a eles, e isto credito neste técnico de bosta que temos.

    ResponderExcluir
  2. Agora é evidente que falta o atacante para empurrar a bola para dentro, e mais uma vez credito na conta do bostão do OO.

    O Elkeson não tem nem nunca vai ter cacoete de pivo (termo do Futsal), mas o técnico acha e nós vamos tendo a paciência de aguentar as inveções e os desacertos deste merda.

    A grande diferença do Atlético-MG para o Botafogo, na minha opinião, é que eles tinham atacante o JO e nós não. Simples assim não acham.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Henrique.

    Este é o raio X do Botafogo hoje. Vamos pegar este mapa que você construiu e mandarmos para o Oswaldo? Podemos também publicar esta opinião aí na imprensa comercial pois assim, alguém pode nos ajudar a gritar mais.

    É tudo isso aí. Só tenho a corroborar dizendo que o Rafael Marques agora está na situação de calça de veludo ou bnda de fora. Põe logo o cara para atuar o jogo inteiro (e este de quarta seria ideal) e vamos ver se agora, mais entrosado, ele consegue colocar uma bola lá dentro. Se fizer isto, mesmo que perca gols em outros jogos, nosso aproveitamento de ataque melhora consideravelmente, visto a marcação adversária ter que começar a se preocupar com ele e os espaços podem então se abrir para quem vem chutando da meia.

    Aliás, neste seu compêndio sobre como fazer o bom time do Botafogo render bem, você também termina sugerindo o ‘Orelha’ de saída. Então é isso meu caro amigo.

    Paret.

    ResponderExcluir
  4. Olá amigos, Luiz e Paret.

    Acho que é isso aí, mesmo com os 30 gols feitos e 24 tomados, acho que nosso principal problema é a falta de referência no ataque, e não a zaga.

    Do jeito que o time joga, fica com a bola nos pés, girando o jogo de um lado pro outro, e lançando todos ao ataque. Acabamos expostos ao contra-ataque.

    Se tivéssemos um ataque mais presente, teríamos a possibilidade de contra-atacar, e também poderíamos fixar mais alguns homens de meio para fazer a contenção.

    Eu não coloquei na postagem, mas cogito inclusive na ideia de 3 volantes, um mais recuado, que seria o Mattos, mas na situação atual não sei quem faria o papel, e Renato e Seedorf de volantes com mais liberdade, vindo buscar e saindo para o jogo.

    Mais a frente, de meia-atacante, Andrezinho e Elkeson, e o Orelha lá na frente. Como Andrezinho e Elkeson poderiam centralizar ou cair para os lados, haveria espaço para os laterais apoiarem mais, tendo 3 volantes, em especial um, para cobri-los.

    Sobre o atacante lá na frente, quem temos é o Rafael Marques, então escala ele. Mas estaríamos melhores com Loco, Barcos, Jo, Love, Fred, Alecsandro, Luis Fabiano, Wellington Paulista, André Lima, Marcelo Moreno, Araujo, Borges. A lista é grande.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Bom dia,
    Henrique que belo texto!!!
    Antes de comentá-lo gostaria de saber se alguém sabe de quem é essa fala:

    "- Não fomos desorganizados. Eles fizeram um gol cedo, é uma questão importante. Tivemos que nos expôr. Em função da dificuldade no aspecto individual, levamos 2 a 0. No segundo tempo, fizemos uma variação tática para encontrar solução. Equilibramos, fomos melhores e tivemos chances, mas não marcamos -""


    "- O primeiro gol foi uma desatenção. Logo no primeiro lance, eles cruzaram, e Felipe fez o gol. No segundo, houve displicência, a bola ficou na área. Sempre existe lição. Levamos dois gols não são normais, e isso refletiu muito em um campo grande e pesado como esse."

    ResponderExcluir
  6. Em relação a postagem, Henrique que não é técnico de futebol(acho) conseguiu apontar onde estão as falhas da equipe, penso, se ele que não convive o dia a dia da equipe consegue perceber, o que dizer do sr. Oswaldo??? Se Oswaldo sabe, porque não conserta?? Não sabe?? Não quer? Ou não foi autorizado??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Orlando, muito obrigado pelo elogio.

      Evidente, não sou técnico. Nem técnico amador. Nem técnico de pelada de fim de semana, ou de time de criança no colégio.

      Na verdade acho que só organizei tudo que vocês já disseram. Nem sintetizei, uma vez que o texto ficou longo. Ainda assim deixei escapar um ou outro tópico. E veja que nem falei sobre cada jogador individualmente, questões físicas, contusões, e essas coisas menos ponderáveis.

      Acho que para um profissional bem remunerado, muito bem remunerado, isto tudo deveria ser fácil. Ele deveria estar vendo detalhes e pensando muito mais a frente.

      E o grave é isso, concluir que nem precisa mudar jogadores, só com uma arrumação simples já pode melhorar. Acrescente-se alguns treinos de posicionamento, uma jogadas ensaiadas, e já estaríamos no G4.

      Daí, soma mais uns dois reforços (um zagueiro e um atacante experientes e em forma) e pronto, estaríamos na briga pelo título.

      Não parece complicado.

      Já sobre a fala... não tinha a menor ideia, mas nada resiste ao Google. Que tristeza lembrar disso...

      Daí lembrei do pedido de paciência, e o Lenine dizendo "a vida não para", e lembrei do Cazuza com O Tempo Não Para, e "Eu vejo o futuro repetir o passado. Eu vejo um museu de grandes novidades."

      E o campeonato não para...

      Abraços.

      Excluir
  7. Aleluia irmão!

    (desculpem-me a ironia com tom religioso, mas não pude deixar de fazer)

    http://www.lancenet.com.br/botafogo/Oswaldo-zagueiros-Brinner-ganha-chance_0_759524079.html

    Seriam 3 zagueiros ou a ideia do meu penúltimo parágrafo? Qual dos 3 ficaria de primeiro volante? eu indicaria o Antonio Carlos.

    Fez-se a luz?

    OO acordou?

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. BOA TARDE A TODOS ALVINEGROS DE CORAÇÃO

    O texto do Carlos Henrique está um primor. Parabéns. Mas as colocações do Orlando são super pertinentes. Eu colocaria mais um ingrediente, que vai além da análise Carlos Henrique e da sacada do Orlando. Eu vejo que tem jogadores que BUSCAM a bola, se APRESENTAM para o jogo. Tem outros que fazem o inverso. Isso também (óbvio) dificulta a dita OBJETIVIDADE. Temos posse de bola mas não traduzimos isso em EFETIVIDADE. Perdemos, portanto, capacidade ofensiva, já que quando temos mais OPÇÕES, isso dificulta a marcação e facilita aos jogadores de criação (Sidão e Andrezinho, principalente). Porque o Vítor Jr., se destacou tão rapidamente? Justamente porque ele estava sempre se colocando à disposição e partindo para cima do adversário. Isso até começarem os "embalos". Concordo com a questão da proteção à zaga, que antes era feita pelo Marcelo Mattos, mas não é só isso. Falta qualidade na zaga (técnica e táticamente falando). Nem nos cruzamentos (os dois são altos) se destacam. Pelo contrário. Cantamos essa bola, mas a diretoriazinha colocou na cabeça que os caras são "bons"... Fazer o que? Só nos resta protestar. Buscaram o Brinner e nada. Tanaka foi só enrolação. Dispensaram vários atacantes e trouxeram um da terra dos olhos puxados. Ou seja, em terra de "cego" quem tem os dois olhos (bem abertos) é rei... rsrsrs E para corroborar eu digo: aqui não tem japa com olho puxado jogando. Para falar a verdade, desconheço jogadores de primeira grandeza que tenham vindo da terra do sol nascente. Portanto tudo o que o Carlos Henrique disse representa a verdade, já cantada e decantada no BLOG e até mesmo em outros espaços. O complemento do Orlando foi providencial. E se vasculharmos vamos encontrar mais alguns caroços nesse angú. Se não acertarmos o setor defensivo, não adianta ficar malhando em ferro frio (fazer um gol ou dois, e tomar dez lá atrás). Eu diria que a arrumação do time passa primordialmente pela questão defensiva. Agora, as deficiências no elenco e as interferências (bem lembradas pelo Orlando), entram no fator "imponderável". É o meu parecer SMJ.

    Forte abraço a todos

    Alexandre Rodrigues

    ResponderExcluir
  9. Cacara meu amigo Henrique. Você postou (magistralmente como já corroborou a galera), veio o 'day after' e aí, tome Oswaldinho mudando um esquema até então imutável. Não é possível.

    Vamos tomar General Severiano pois as idéias, jornalísticas ou técnicas, estão saindo daqui. Com Orlando, você, Alexandre e Luiz, só para citar 4, o time vira o melhor do mundo. O curinguinha não ganhou a Libertadores com um time de operários? rsrsrsrsrs.

    E quanto ao atacante nipônico caro Alexandre, eu diria que em terra de miúdos, quem tem um par de orelhas daquele é Xerxes (sem o afetamento). kkkkkkkkk

    Paret

    ResponderExcluir
  10. Valeu gente. O texto saiu, mas como disse, foi só uma compilação de tudo que já haviamos falado. Sem dúvida foi um texto do BLOG.

    E vejam só:

    http://globoesporte.globo.com/futebol/times/botafogo/noticia/2012/08/oswaldo-comanda-coletivo-e-testa-time-do-bota-com-tres-zagueiros.html

    Neste aqui falam que o Antonio Carlos ficou na sobra. Vamos ver como de fato será isso. Acho que o correto seria ele ficar com o primeiro combate e a cobertura, e não a sobra. Ele ficaria à frente da dupla de zaga.

    E só para lembrar, não sei mais qual a partida, mas em uma que a dupla foi Brinner e Cacatua, o Brinner conseguiu corrigir quase todas as lambanças do Cacatua.

    E sobre o Orelha, eu sempre lembro do Amin Khader. Mas essa já tem até montagem na Internet... acho que são parentes. Hehehehe

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Henrique,
      Se ao invés de colocar três zagueiros, colocasse o Renato como libero.
      Jefferson
      Renato
      Lucas, A. Carlos, F.F. e Lima
      Jadson(Amaral), Amaral(Andrezinho) e Seedorf
      Elkeson e Rafael

      Renato, tem experiência e qualidade na saída de bola, como não tem muito gás para ficar indo e voltando, ele poderia orientar a defesa e corrigir as possíveis falhas. Poderia vir a ser um Lhotar Matheus(Alemanha), que jogava no meio campo e se tornou um dos maiores líberos do futebol mundial.
      Eu acho mais viável que três zagueiros, Palmeiras joga assim e demorou um bom tempo pro Felipão conseguir o um minimo de entrosamento, mas qualquer tentativa de mudança na atual situação é valida.

      Excluir
    2. Orlando,

      Diria que é uma ótima ideia, mas improvável no momento. Como você mesmo lembrou, demora até conseguir o entrosamento, ainda mais neste caso, do líbero que sai jogando como o Matheus fazia.

      Mesmo 3 zagueiros tradicionais necessita treino, principalmente com os zagueiros brasileiros, e ainda mais com os nossos "limitados". E para piorar, nenhum dos 3 canhoto.

      Neste momento, aposto mais em manter o esquema 4-5-1, ou variar pro 4-4-2, mas usar um primeiro volante mais marcador. Neste caso o único em "período de adaptação" seria o Antonio Carlos, jogando adiantado como volante. Para os demais jogadores, teoricamente, o esquema continua o mesmo.

      Em relação ao Amaral, li agora a pouco que ele não está inscrito na Sulamericana. Não lembro as datas, mas pode ter acontecido dele ter sido contratado após o fechamento das inscrições para a fase da Sulamericana. Então no jogo de amanhã ele está fora.

      Abraços!

      Excluir
  11. Carlos Henrique21/08/12 14:02

    .......E só para lembrar, não sei mais qual a partida, mas em uma que a dupla foi Brinner e Cacatua, o Brinner conseguiu corrigir quase todas as lambanças do Cacatua.
    _______________________________________

    Foi o jogo contra o Figueira aqui, Henrique. Foi aquele 1x0 super estressante, teste para cardíaco, no qual Brinner salvou o gol do Figueira já no final, quando uma bola sobrou no meio para um atacante deles super livre. Não sei até hoje como o cara dos 10 mandamentos conseguiu colocar a perna naquele chute.

    Eu diria que se passasse o replay, a bola entrava. Foi como se disséssemos que "ganhamos por 1x1".

    Agora essa aí do Amim é bem bizarra, hein? hehehehehehehe.. E o pior é que a semelhança nos remete mesmo aos gêmeos árabes: Karadium e Kudiôtro.

    Paret.

    ResponderExcluir
  12. Oswaldo: 'Já disse e repito, não existe time campeão sem o apoio da torcida'

    Orlando: " Já disse e repito, não existe apoio da torcida sem bom futebol"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse Oswaldo é engraçado, primeiro cobra para depois mostrar a mercadoria, assim fica fácil.
      Depois quando o comprador não gosta e vaia, vem falar que a torcida é chata. Primeiro qualifica-se o produto, distribua algumas amostras, mostre todos os benefícios ao cliente ai assim fale o preço a pagar.
      Tô errado???

      Excluir
    2. Orlando,

      Eu acho que ele usa aquele papo calhorda.

      Ele não parte desta ideia comercial, mas sim trabalha com a paixão, com o irracional. Mas usa a paixão que temos em favor próprio, sem pensar em oferecer nada em troca.

      Então é papo calhorda, tratando a torcida como Amélia.

      Só que ele se esquece que o amor, paixão e carinho, nós temos pelo Botafogo. Ele está longe de representar o Botafogo. E aí digo eu:

      "Não existe time campeão sem técnico com culhão."

      E segura o nível que tá caindo... rsssss

      Abraços.

      Excluir
    3. Grande Henrique. Em dias de verdade absoluta doa a quem doer.. hehehehehe.

      Solta o verbo, Henrique. Sei que não é do seu perfil mas o momento é mesmo de cobrar a qualquer custo, da forma que se cobrar (só evitando a violência).

      Paret.

      Excluir
  13. O texto está ótimo, parabéns!
    Concordo plenamente que, com laterais e volantes fracos na marcação, seja natural a mudança do esquema. Teoricamente, com 3 zagueiros os laterais não precisam pegar um dos atacantes do time adversário (o que vem acontecendo com nossa defesa, vide os gols do Barcos, sendo marcado pelo Lucas e do Escudero pelo Lima) e os volantes não precisam sair tanto pra cobrir a lateral, podendo congestionar o meio e não precisando correr tanto atrás dos meias adversários. Mas vejo uma pegadinha aí. O posicionamento de um desses zagueiros como volante não resolve o problema. Só piora. Vejam: nenhum dos 3 zagueiros tem boa saída de bola pra jogar ali, nem velocidade pra acompanhar os meias.
    Acredito que com volantes velozes e que marquem bem e com laterais que, pelo menos, guardem a posição, 3 zagueiros não deva ser uma opção. Jogar com 3 zagueiros contra times velozes com constante movimentação pode ser desastroso. Ainda mais sem treinar. Espero que não seja o que aconteça amanhã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tiago.

      Inicialmente, seja muito bem vindo amigão alvinegro. Se ainda não fez o seu cadastro de seguidor conosco, faça-o pois isto só enriquece o nosso espaço, mas se já o fez, comente à vontade.

      Vemos que você trouxe mais uma opinião técnica para o blog e com isto, repito, o debate só engrandecerá o nosso forum. Vejo também como muito complicada esta mudança, mormente pela adaptação a novas funções de quem pode não estar capacitado para mudanças. Vamos aguardar o que o time pode fazer amanhã, pois domingo o adversário, antes caído, vem com tudo.

      Paret.

      Excluir
    2. Olá Tiago,

      Concordo com sua opinião, há realmente um dificuldade. É uma faca de dois gumes. Do jeito que está, fica desorganizado e sem proteção. A zaga com suas limitações e em baixa, sofre.

      No esquema de 3 zagueiros, o problema fica pelo fato dos 3 serem destros. Sobrará para o Fabio Ferreira fazer a esquerda torto, como sempre. E também faltará entrosamento.

      Então ainda prefiro o esquema com um volante mais marcador, que poderia ser o Mattos, ou o Amaral. Para hoje, o primeiro continua contundido, o segundo não inscrito. Acho que se pode tentar alguém da base, Gabriel ou Ulisses. Mas faltaria treinar bastante. A opção de momento seria o Antonio Carlos, pois é dos nossos zagueiros o que teria a melhor saída de bola. E para compensar esta deficiência teríamos que contar com a participação do Renato, e com alguns retornos do Andrezinho e do Seedorf para buscar o jogo.

      E vamos ver o que o time fará hoje a noite. Para domingo, Paret, até estou mais confiante.

      Abraços.

      Excluir
    3. Carlos,
      tb prefiro um volante mais marcador. Acho até que o time melhorou com o Amaral. Mas 1 volante marcador só e esses laterais que não marcam, não resolve. A gente tem visto. Pra jogar com 1 volante só, teria que ser um 4141, não 4231. Os nomes podem ser os mesmos, mas o posicionamento deveria mudar. Renato e Seedorf já jogaram assim no Sevilha e Milan, respectivamente. Eles fariam um "meia" pela lateral, protegendo os laterais e atacando com eles. Os meias "por dentro" seriam Andrezinho e Elkeson (Lodeiro). Pra mim, fundamentalmente, o que tem que mudar é o posicionamento dos caras, assim como a disposição e atitude, que andam faltando.

      Excluir
    4. Carlos,
      tb prefiro um volante mais marcador. Acho até que o time melhorou com o Amaral. Mas 1 volante marcador só e esses laterais que não marcam, não resolve. A gente tem visto. Pra jogar com 1 volante só, teria que ser um 4141, não 4231. Os nomes podem ser os mesmos, mas o posicionamento deveria mudar. Renato e Seedorf já jogaram assim no Sevilha e Milan, respectivamente. Eles fariam um "meia" pela lateral, protegendo os laterais e atacando com eles. Os meias "por dentro" seriam Andrezinho e Elkeson (Lodeiro). Pra mim, fundamentalmente, o que tem que mudar é o posicionamento dos caras, assim como a disposição e atitude, que andam faltando.

      Excluir
    5. É Tiago,

      Também achei que o time melhorou com o Amaral, que não foi tão bem, talvez por falta de ritmo e de entrosamento, talvez por limitação técnica.

      Sobre os laterais, eu acho que eles tem saído menos do que faziam antigamente, o que se torna um problema, porque deixam de exercitar o ponto mais forte que possuem.

      Sobre este posicionamento do Renato e Seedorf, eu não sabia. Interessante a ideia. E o mais curioso, esse 4-1-4-1 não é um esquema bastante usado no Japão ou de alguma seleção asiática? Lembro de ter visto alguém jogando neste esquema e acho que foi na Copa do Mundo.

      Vamos ver o que o OO nos apresenta hoje. Acredito que faremos os 2 ou 3 gols, o difícil será não tomar 1.

      Agora mudando de assunto e falando sobre o BLOG, até porque de certa forma você é novato aqui. Como muitos tem conhecimento, partiu de uma iniciativa do Paret, reunindo o pessoal que comentava notícias sobre o Botafogo n´O Globo naqueles idos de 2008/2009. No final de 2009 Paret lançou o BLOG e o pessoal aderiu.

      No final de 2010, convidado pelo Paret, passei a contribuir também com postagens, ideias, formatação, e o tudo que fosse possível, para incrementar o BLOG. Na verdade, inicialmente foi só para cobrir as férias dele, mas não larguei mais o osso.

      Então fomos bolando o que fosse possível, tentando implementar as ideias que a galera dava, o Alexandre sempre apresenta alguma interessante, e chegamos ao Youtube, engatinhando, ao Facebook, ainda burocrático, e ao Twitter, que por exigir menos eu que venho mantendo funcionado.

      Pois bem, falo tudo isso (ando prolixo) para dizer que quando vi seu nome aqui no BLOG, Tiago Bandeira, sabia que já havia lido em algum lugar. Fui no twitter, e estava lá, na relação de "Seguindo" do Botafogo Eterno Blog. Vi as rápidas trocas de mensagem que fizemos e olhei seu perfil. A curiosidade bateu, e fui ver seu Blog. Só li 2 textos, o último e o primeiro.

      Fiquei impressionado.

      Parabéns!

      Vou me dar o direito de colocar o link aqui para a galera:

      http://www.comovireiadulto.blogspot.com.br

      Abraços.

      Excluir
    6. UAU!!! Por essa eu realmente não esperava! Muito obrigado pelo elogio. Meu blog é um projeto antigo que deixei meio de lado ultimamente, mas que preferi não desativar totalmente. Ta lá, pra quem quiser ler. Um dia, quem sabe, ganha vida. Muito obrigado por colocar o link pra pessoal do blog que quiser conferir. Valeu mesmo!
      Concordo quanto aos laterais, eles realmente têm saído menos mesmo. Mas a verdade é que mesmo assim eles tem sido o ponto fraco da defesa. Contra o galo, todos os gols foram falhas deles. Pra mim, parece claro que eles precisam de proteção.
      Quanto ao 4141, o Real Madrid jogou assim contra o Barcelona. O Japão e a Coréia já jogaram assim também, como vc falou.
      É isso! Vamos ver o que vai acontecer... A teoria na prática é outra, como diria o filósofo. Abraços!

      Excluir
    7. Olá Tiago.

      Fico feliz por várias coisas mas a principal, é o seu anfitrião no nosso blog ter sido o Henrique, cavalheiro de prima e amigo de todas as horas.

      No sufôco que estou, li rapidamente o texto principal do seu blog e me inspirou. Também tenho projetos sobre passar para a escrita (antigamente era para o papel.. hoje é para o Word) tudo o que vivi desde que me reconheci vivo, logo alvinegro.

      Retome seu projeto meu amigo. Aqui, sempre que um está no sufôco o outro toca a bola. E vc já partiu de 18 seguidores, ou seja, tornou-se conhecido. Insista pois a coisa anda. E seja sempre bem vindo.

      Paret.

      Excluir
  14. Bom dia,
    Hoje é dia de renovar a esperança. Então vamos Fogãooooo!!!!

    Por isso que ninguém se preocupa com dívidas:
    http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2012/08/dividas-com-o-governo-podem-levar-ao-rebaixamento-preve-projeto.html

    ResponderExcluir
  15. Boa noite pessoal,

    Nasci alvinegro e aprendi a viver com o Botafogo em mim desde antes do parto. Não sei o que acontece: tenho três paixões - meus filhos e neto - minha vida e Deus na forma em que O concebo. Mas o Botafogo... eu amo o Botafogo mais do que Deus. Haja o que houver hoje e sempre, serei sempre botafoguense. A Estrela Solitária brilhará sempre mais do que qualquer protético-presidente ou empresário de engorda de jogador; Ela está e sempre estará muuuito acima disso tudo. Eu amo o Botafogo tanto quanto amo a minha vida.

    Saudades dos amigos e espero que todos estejam bem em suas vidas.

    Eternas saudações alvinegras a todos

    Carlos Linstock

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigos do blog, novos e antigos.

      Um tapete vermelho por favor. Trombetas. Chamem a guarda real.

      No blog, Liiinnnnnnnnnnssssssstoooooooooooooooooooooock.

      Mas por onde andavas, nobilíssimo amigo? Que surpresa mais agradável. Vou até encurtar meu comentário pois quero que ele e o seu passem a integrar algumas postagens por um tempo. Linstock, o homem que, menino, andou com lendas (lembro perfeitamente de Garrincha a olhar um garotinho assustado, segurar-lhe a mão e lhe sorrir como a dizer "não tenha medo").

      Valeu nobre amigo.

      Paret.

      Excluir
    2. Grande Linstock!!!!!

      O dono da semente do BLOG!

      O autor da postagem mais diferente, mais original e mais hilária do BLOG.

      http://botafogofr-paret.blogspot.com.br/2011/05/bombaaaaaaaaaaaaa.html

      Botafoguense da mais alta estirpe!

      Amigo, o espaço sempre será seu.

      Abraços!

      Excluir
    3. Caros amigos, veteranos e novos,

      Nosso Botafogo ontem honrou a denominação de O Glorioso da Estrela Solitária. Nem tanto pela qualidade do que apresentou, mas pela dedicação mesmo com fragilidades e limitações várias. Não dava para perder para um clube cuja torcida o chama de porco por 3 vezes seguidas. Mas agora isto já é passado e temos todos que voltar nossa atenção para o phracom3ngo - não sei por que não consigo escrever o nome do coisa ruim a não ser desse jeito... desde o tempo láááá do globo on line.

      Valeu Paret! Vc ainda se lembra do vaaaaaai psicopataaaaa?
      Valeu Carlos Henrique! E não é que vcs fizeram tudo e deu certo!!!!

      Me lembro das palavras de Nílton Santos no vestiário do Bota antes do time entrar em campo para a decisão de 1989 contra o phracom3ngo(não adianta, não consigo!), quando respondeu a uma provocação de um foquinha da época: "Eu já conversei com o Mané, já falei com ele agora há pouco... ele me ouviu... disse que vai estar lá e vai dar tudo certo..." E não é que o Enciclopédia falou mesmo com Ele?

      Abraço gde a todos e nas famílias também... vcs também fazem parte da minha família... amo vcs como amo o Botafogo e sua Estrela Solitária.

      Carlos Linstock

      Excluir
  16. Rapaz!!!!
    Depois da postagem em comemoração as 100.000 visitas, não é começaram aparecer novas e antigas ESTRELAS para abrilhantar ainda mais nosso espaço.
    Oxalá, seja um sinal de novos tempos e novas energias em prol do Botafogo, que está precisando.

    Saudações Alvinegras!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí Orlando, e nessas comentadas, do nosso novo seguidor Tiago, e do nosso fundador Linstock, acabei não falando sobre seu comentário. Interessante a matéria q você havia postado. Com certeza já tinha gente trabalhando com aquilo, tipo, aumentando a dívida agora, pois não vai ter que pagar. Não acha?

      E realmente a constelação da estrela solitária só vai crescendo. E os 100 mil, já viraram 101 mil, rapidinho.

      Abraços.

      Excluir
    2. Henrique,
      O presidente, já havia dito a tempos que foi orientado fazer atualização da divida, ainda vai aparecer muita dividas em vários clubes.
      Se a divida é impagável, poem na conta do Abreu(povo), por que esse paga.

      Rumo a uma virada histórica hoje, mesmo com Oswaldo.

      Excluir
    3. E vamos pro jogo Orlando!

      Vamos ver se o time joga com inteligência. Tem que abusar da velocidade e das jogadas individuais, pois o Palmeiras está sem banco e não vai ter substitutos para os cansados e amarelados.

      Abraços!

      Excluir

Sou Botafogo

Sou Botafogo
campanha gratuita do BLOG BOTAFOGO ETERNO pela associação - clique no banner

Leia aqui como o Botafogo mudou o rumo da história do esporte no Brasil (e do futebol no mundo).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Imagens Históricas - Por Luiz Fernando do BLOG